1
Jornal de Natal – Coral Segunda Igreja Presbiteriana de Rio Claro
2
Encontro das Mulheres
3
Ministério Coral
4
A origem da Coroa de Advento
5
Culto dia 29/11/2015 – Segunda Igreja Presbiteriana de Rio Claro
6
Café Comunitário
7
Com fé e planos para o futuro, Dona Florisa completa 100 anos
8
Informativo do Mês de Novembro de 2015 – Ano: 65
9
Acampadentro das nossas crianças! Só alegria!!!
10
Culto 65 Anos – Segunda Igreja Presbiteriana de Rio Claro

Jornal de Natal – Coral Segunda Igreja Presbiteriana de Rio Claro

Confira na íntegra nossa Jornal de Natal – Coral Segunda Igreja Presbiteriana de Rio Claro.

Encontro das Mulheres

Confraternização e concurso de Chapéus, parabéns Alexina Mesquita vencedora do concurso. Obrigado a todos que compareceram e ajudaram, obrigado aos irmãos Monica Claro e Dc. Quico por mais uma vez abrirem as portas de sua residência, Obrigado Dona Rosa que pilotou o fogão. Deus os abençoe.

Ministério Coral

Nosso coral junto com outros corais das IPBs da cidade estarão se apresentando no dia 18/12 (sexta-feira) na Primeira Igreja a cantata Maior Amor. Não deixe de participar.

Além desse trabalho durante o mês de Dezembro nossos irmãos estarão cantando ainda nos seguintes locais:

  • 25/11- 19 hs Hospital Unimed
  • 05/12 – 8hs – Laboratório
  • 06/12 – 14.30 hs – Asilo São Vicente
  • 16/12 – 19hs – Unimed
  • 18/12 – Primeira Igreja 19:30 hs
  • 20/12- Segunda Igreja 19:30hs
  • 22/12 – 19.30 h – Rua 7 Particular

 

A origem da Coroa de Advento

Hoje, na Alemanha, a Coroa de Advento está dentro de Igrejas, de escolas e até de residências particulares. É impossível se imaginar os festejos de Advento sem a presença da referida e suas quatro velas queimando durante os 24 dias. Pois andei pesquisando a respeito. A Coroa de Advento não é antiga. Ela foi concebida em Hamburgo, há mais de cem anos. Havia muitas crianças órfãs naquela cidade portuária. Meninas e meninos sem teto que perambulavam pelas ruas pedindo esmolas. Conhecemos este “filme”.

As coisas não precisam ser sempre assim. Um pastor evangélico luterano morava naquela cidade. Seu coração pulsava por aquelas meninas e por aqueles meninos “sem eira nem beira”. Mexe daqui, puxa dali, ele construiu uma enorme casa onde passou a abrigar o máximo possível de crianças de rua. Naquela casa o povo miúdo tinha espaço para dormir e fazer suas refeições. Mais do que isso: tinha a chance de aprender uma profissão. Muitos saíram dali formados como sapateiros, desenhistas, costureiras e até jardineiros. A idéia era que, assim, não precisariam mais perambular pelas ruas pedindo esmolas, uma vez que juntavam seus próprios dinheiros a partir do suor do seu rosto.

Foi assim que, em 1833, nasceu a “Rauhes Haus” (Casa Rústica). O pastor visionário chamava-se Johann Heinrich Wichern (*1808 +1881). Todo ano ele celebrava o tempo de Advento com meditações, cânticos e reflexões que enfocavam este tempo bonito que antecede o Natal. Para contextualizar aqueles momentos o pastor Wichern pendurou uma roda velha, dessas que ainda hoje se vê em carroças, no teto na “Casa” que dirigia. No primeiro domingo de Advento colocou a primeira grande vela a queimar sobre a roda. Depois, nos seis dias seguintes, seis velas pequenas. Daí, no segundo domingo de Advento, novamente a segunda vela grande… Um dia antes do Natal queimavam 24 velas referida roda.

Corria o ano de 1840. As meninas e os meninos que moravam na referida casa gostavam muito daqueles encontros. A roda ia iluminando mais e mais a sala, a medida que o Natal se aproximava. Cada vela tinha o seu significado. Foram eles, as meninas e os meninos, que “batizaram” aquele tempo de “Meditação das Velas”. Passaram-se dois anos e aquela pequena Comunidade decidiu enfeitar a roda iluminada com ramos de pinheiro (sinal de vida). Foi assim que nasceu a primeira Coroa de Advento dentro da Igreja Luterana.

Muitas pessoas que visitavam a “Rauhes Haus” achavam aquele símbolo muito significativo. Como nas suas moradias particulares não havia muito espaço para uma Coroa de Advento com 24 velas, optaram por uma menor com quatro, uma para cada domingo. Viva o Advento, esse tempo no qual nos preparamos para receber a visita que vem: Jesus Cristo!

P. Renato Luiz Becker

Culto dia 29/11/2015 – Segunda Igreja Presbiteriana de Rio Claro

Na noite de hoje, tivemos a presença do Pastor Norberto Santandréa, trazendo a mensagem do Senhor e do seu filho Felipe Santandréa, louvando ao Senhor através de canções, Deus os abençoe. Crédito nas fotos: Diácono Emerson e Diácono Paschoal Luiz Pitta.

Café Comunitário

Momentos de comunhão antes da Escola Dominical. Obrigado a todos pelo empenho. Crédito nas fotos: Diácono Paschoal Luiz Pitta

Com fé e planos para o futuro, Dona Florisa completa 100 anos

Dona de uma alegria contagiante, Florisa Guilherme completa neste domingo (8) 100 anos. Nascida em Rio Claro, a dona de casa leva uma vida tranquila e regada com boas energias. “Nasci às 14 horas do dia 8 de novembro de 1915, em um domingo. Meus pais tiveram seis filhos, sou a única que está por aqui”, conta.

Dona Isa, como costuma e gosta de ser chamada, casou-se aos 26 anos de idade e, segundo a mesma, seu marido, que faleceu há 24 anos, “era um pão”. “Tivemos quatro filhos, três meninas e um menino, uma infelizmente já faleceu”, fala.

Com segundo grau completo nos estudos, Dona Isa conta que costurou durante 35 anos e que sempre prezou pela qualidade de vida e estudo dos filhos. “Meus filhos são todos formados, assim como meus netos. Tenho três netos e também três bisnetos.”

Frequentadora assídua da Igreja Presbiteriana, quando questionada sobre completar 100 anos, a dona de casa responde. “Vivo segurando na mão de Deus, por isso estou aqui” e ainda completa que a passagem preferida na bíblia é “Tudo posso naquele que me fortalece”.

Moradora há 70 anos na mesma casa, Dona Isa fala que há alguns anos, aproximadamente 15, não come mais carne de porco, nem vermelha e não bebe mais leite nem café. “Antigamente, comia bastante gordura, mas é preciso se cuidar. Não tomo remédio para nada, não tenho pressão alta, diabetes, apenas ando com um pouco mais de cautela, pois tenho medo de cair”, explica.

Corintiana, Dona Isa conta que a comemoração dos 100 anos ocorre em um culto em sua igreja e que a casa vem sendo preparada para receber a família. Sobre os planos para o futuro, a ex-costureira conta sempre com Deus. “Quero saúde, paz com Deus e peço para que, se for para me deixar assim, como estou, já me sinto feliz e realizada.”

Analisando as gerações, Dona Isa fala que torce muito para que o mundo encontre a paz, para que todos vivam bem. “Para o mundo, peço sempre em conversa com Deus que melhore para todos, para os jovens principalmente, para que possamos viver em paz, em um mundo onde não exista violência e que a droga não tome conta da vida das pessoas, como infelizmente acontece”, finaliza.

Fonte: Jornal Cidade

Informativo do Mês de Novembro de 2015 – Ano: 65

Há algumas semanas atrás tivemos em nossa região a reunião de nosso presbitério, confesso a você que particularmente me estressa muito essas reuniões, pois tratam de assuntos que muitas vezes em vez de acrescentar acaba deixando magoas por decisões tomadas que não gostaríamos que fosse assim; Nos dias que se sucederam a essa reunião estava lendo alguns artigos dentre eles encontrei um; do teólogo, psicanalista e pedagogo Rubem Alves ao qual me identifiquei na hora com esse mesmo sentimento o qual gostaria de transcrever:

“Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para frente do que já vivi até agora.
Sinto-me como aquele menino que ganhou uma bacia de jabuticabas. As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltavam poucas, rói o caroço.
Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.
Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflados. Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, ta-lentos e sorte.
Já não tenho tempo para projetos megalomaníacos.
Já não tenho tempo para conversas intermináveis para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha.
Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas que, apesar da idade cronológica, são imaturas.
Detesto fazer acareação de desafetos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário geral do coral ou semelhante bobagem, seja ela qual for.
Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa…
Sem muitas jabuticabas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, mui-to humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, (…) não foge de sua mortalidade, defende a dignidade dos marginalizados, e de-seja tão somente andar ao lado de Deus.
Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade, desfrutar desse amor absolutamente sem fraudes, nunca será perda de tempo. O essencial faz a vida valer a pena. Basta o essencial!”

Temos perdido muito tempo nos dias atuais com coisas insignificantes; enquanto a nossa família se encontra em pedaços, nossas emoções destruídas e até nossas igreja em marasmo espiritual. Repensemos o nosso compromisso com o Eterno.

Pr. Wagner

Acampadentro das nossas crianças! Só alegria!!!

Culto 65 Anos – Segunda Igreja Presbiteriana de Rio Claro

Culto de gratidão a Deus, contamos com a presença do Pastor Célio Teixeira Jr e Coral da IPB de Jaú. Crédito nas fotos Diácono Paschoal Luiz Pitta.

Segunda IPB Rio Claro - Todos os Direitos Reservados 2014. Criação de Sites Postali